DISPONÍVEL EM 68 LÍNGUAS / SELECIONE SEU IDIOMA


AVAILABLE IN 68 LANGUAGES / SELECT YOUR LANGUAGE

Manchetes
Capa » BIBLIOTECA (Textos do Autor) (page 4)

BIBLIOTECA (Textos do Autor)

ÚLTIMA ENTREVISTA DE CASTRO ALVES

Última entrevista do poeta Castro Alves, concedida ao escritor e professor, Augusto Sérgio Bastos, em 1871, no Palacete do Sodré, em Salvador, Bahia. Castro Alves viria a morrer um mês após haver concedido essa franca e comovente entrevista.  Quem é o poeta Castro Alves? Sou um homem que escreve e declama seus poemas. Por amor, por compulsão e por herança. Um ...

Leia Mais »

O FARSANTE, LEANDRO KARNAL

Na entrevista concedida ao programa Roda Viva pelo professor marxista da Unicamp, Leandro Karnal, começa discutindo o problema da atual polarização do debate político, que faz com que as pessoas considerem inimigas as outras pessoas de pensamentos discordantes; Karnal diz que a “polarização não pensa, apenas adjetiva e rotula ao invés de discutir as ideias”. Toda polarização é burra, diz ele, e ...

Leia Mais »

O FASCISMO ETERNO, por Umberto Eco.

O texto a seguir, do intelectual Umberto Eco, foi produzido originalmente para uma conferência proferida na Universidade Columbia, em abril de 1995. ‘O Fascismo Eterno’ Em 1942, com a idade de dez anos, ganhei o prêmio nos Ludi Juveniles (um concurso com livre participação obrigatória para jovens fascistas italianos — o que vale dizer, para todos os jovens italianos). Tinha ...

Leia Mais »

TESTEMUNHAS DO SÉCULO

Isaías Golgher, 94 anos, um historiador do tempo das utopias “Eu não posso parar. Sou um sujeito histórico e sigo no movimento das engrenagens do tempo”, diz Isaías Golgher. Ele ouviu os primeiros discursos de Lênin pelo rádio, fugiu dos romenos depois de torturado e trouxe os primeiros textos completos de Marx para o Brasil.  Dezembro de 1924. Um jovem ...

Leia Mais »

GERARDO MELLO MOURÃO, POETA ABSOLUTO

Especial para o Caderno de Cultura do Diário do Nordeste Gerardo Mello Mourão, o poeta oracular e absoluto que tinha orgulho de dizer-se jagunço cearense há quatrocentos anos, não pôde ver o alvor do dia 09 de março de 2007 e virou a última página da sua história lutando pela vida com a mesma serenidade com que enfrentou tantas mortes ...

Leia Mais »

CHANTAGENS RACISTAS – LITERATURA SOB CENSURA

A Cultura Brasileira não pode se tornar refém das emboscadas racistas e chantagens preconceituosas dessas patrulhas de abutres da literatura e muito menos podemos consentir a censura de autores e de obra literárias que vem sendo implantada no Brasil pelos famigerados caçadores da Liberdade de Expressão e de Criação. (Ruy Câmara) FATOS: Outro livro de Monteiro Lobato corre risco de ...

Leia Mais »

POPULISMO DAS COTAS RACIAIS

Os debates sobre temas raciais quase sempre são desviados para um terreno ideologicamente perigoso, porque invoca aquele secular e arcaico duelo entre escravocratas e abolicionistas, despertando frustrações ou mesmo acirrando teses racistas entre grupos antagônicos. Recentemente o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, por unanimidade, simplificar a gravidade dos problemas econômicos e sociais que afetam a imensa maioria do povo brasileiro, ...

Leia Mais »

PANDA CHINÊS ENJAULA URSO, TIGRE, ELEFANTE E ANTA COM UM SORRISO PÁLIDO

Não me entusiasma minimamente ouvir a notícia que corre o mundo dando conta de que, após 15 anos de conversações, dúvidas e protelação dos chamados “países emergentes”, finalmente foi assinado em Fortaleza (minha cidade) o protocolo de criação de mais um poderoso INSTRUMENTO CAPITALISTA, este que foi batizado pelo economista Jim O´Neil, do banco Goldman Sachs, com o sugestivo nome, ...

Leia Mais »

O FUTURO DO LIVRO

Sou otimista em relação aos avanços tecnológicos e mais ainda em relação aos seus benefícios em todas as instâncias da vida, por isso mesmo não tenho a mínima preocupação com o futuro ou mesmo o fim dos conteúdos impressos. Muitos escritores, editores e agentes têm manifestado as suas preocupações diante das perspectivas que antecipam o fim do livro no formato ...

Leia Mais »

ELEGIA AO POETA JOSÉ TELLES

“Quantos mistérios se ocultam no ato de morrer?”, indaguei-me na chegada ao quarto e fiz um gesto solene ao ver o vate de Bitupitá, meu amigo de todas as horas, José Telles, deitado com as pálpebras entreabertas sobre um olhar espiritualizado, movendo apenas os braços e os lábios retorcidos, como se aquela impassividade de cadáver fosse o último recurso para ...

Leia Mais »